Já ouviu falar que a maioria das profissões do futuro ainda nem foram inventadas? Segundo um estudo encomendado pela Dell Technologies ao Institute For The Future (IFTF), com o avanço da tecnologia, cerca de 85% dos empregos serão novos em 2030.

Se por um lado as profissões serão transformadas dentro de alguns anos, de outro também mudarão as habilidades profissionais exigidas pelo mercado.

Pode parecer algo assustador, mas basta olhar para as mudanças rápidas e significativas vividas em todo o mundo que já se percebe que essa realidade não está distante.

Quer saber como se adequar às novas exigências que estão por vir e também à era da Organizações Exponenciais (ExOs)? Estamos aqui para ajudar você nisso. Reunimos, a seguir, as principais habilidades do profissional do futuro.

Ser exponencial

Há pouco tempo era comum seguir uma carreira linear em que só se trabalhava na área de formação, com o objetivo de chegar a cargos mais altos. Mas com a velocidade com a qual a sociedade se transforma, mudam também as ambições profissionais das novas gerações.

Hoje, aqueles que chegam ao mercado de trabalho são muito mais preocupados em desempenhar seus papéis motivados por um propósito do que apenas por um bom salário. Por isso, fazem o que for necessário para conquistar seus objetivos.

Esse novo cenário cria um novo modelo de carreira, em que se tornar exponencial pode ser vista como uma das mais importantes habilidades do profissional do futuro. Isto significa ser curioso, pró ativo e flexível para se adaptar a novos desafios.

Aprenda com o exemplo das Organizações Exponenciais

Tem interesse em descobrir o que está por trás das empresas de sucesso do presente e do futuro? Então, recomendamos a obra dos autores Salim Ismail, Michael S. Malone, Yuri Van Geest e Peter H. Diamandis: Organizações Exponenciais.

Uma pesquisa sobre os padrões de algumas das mais importantes companhias do mundo, como: Airbnb, Amazon, Citibank, Coca Cola, Netflix, Google (Ventures) e Tesla.

No livro, é possível entender mais sobre as principais características desses negócios: adaptabilidade, abrangência, agilidade, criatividade, democratização, disrupção, inovação e inteligência. Mas, também, que é crucial estar disposto a se reinventar e tentar mais uma vez, mesmo que algo não saia conforme o esperado.

Você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com a importância de se tornar um profissional exponencial, mas a gente responde: tudo.

Organizações exponenciais dão às pessoas que fazem parte delas uma capacidade de crescimento 10 vezes maior que as empresas tradicionais. São mais rápidas e baratas porque inovam, rompem paradigmas e alavancam seu desempenho com o uso de novas tecnologias.

Da mesma forma, os profissionais do futuro precisam criar e modificar comportamentos, revolucionando o ambiente de trabalho.

Ser protagonista para aprender e propor novas soluções

Os profissionais que vão comandar as empresas no futuro devem “saber aprender” com flexibilidade e, acima de tudo, protagonismo. Precisam ser corajosos, curiosos e inovadores ao resolver problemas e ao encontrar soluções criativas.

Um caminho para alcançar um modelo mental disruptivo é se tornar um profissional híbrido, ou seja, ser especialista em uma área, mas ter conhecimentos em diversas outras, além de continuar se capacitando cada vez mais.

Não abrir mão do que já existe, mas se adaptar para atender às novas exigências do mercado de trabalho.

Um erro muito comum, hoje, é buscar apenas as boas oportunidades e soluções prontas. Mas a realidade é que o modelo exponencial vai além de um mundo previsível e oferece a disrupção como vantagem competitiva.

Ter inteligência socioemocional para encarar os novos desafios que virão pela frente

Apontada pela ONU (Organização das Nações Unidas) como uma das 10 habilidades do profissional do futuro, a inteligência emocional é essencial para gerir emoções e manter a capacidade de adaptação diante de tantas mudanças.

No contexto atual, onde tudo se transforma a uma velocidade nunca antes vista, o conceito ganhou força dada a constatação de que, para ser bem-sucedido na vida profissional, é preciso saber como agir em momentos de dificuldade. Por isso, vai de encontro ao desenvolvimento pessoal e profissional.

Contribui para o autoconhecimento, para uma melhor avaliação das emoções e para o desenvolvimento da empatia. Uma forma de ganhar confiança e segurança para se relacionar melhor com o mundo ao redor.

Afinal, segundo um estudo da Universidade de Columbia, para cada dólar investido no desenvolvimento da inteligência socioemocional, 11 dólares são devolvidos à sociedade.

Entenda mais sobre o assunto

O conceito de inteligência emocional foi criado pela Psicologia para dar nome a quem é capaz de identificar seus sentimentos com facilidade e, até mais do que isso, tem habilidade para lidar com as pessoas, situações e emoções.

Ficou muito conhecido após a publicação do livro de mesmo nome, pelo psicólogo norte-americano Daniel Goleman.

Envolve a sua relação consigo mesmo e com as outras pessoas. Por isso, se concentra no desenvolvimento dos seguintes pilares:

  • Emocional: diz respeito à forma com a qual você lida com as próprias emoções a partir de situações a que é exposto em seu cotidiano.
  • Social: analisa como se relaciona com o mundo externo e com as pessoas que estão ao seu redor.
  • Ética: avalia como agir positivamente para o bem comum.

Como desenvolver a inteligência emocional?

Confira algumas dicas para aprender a desenvolvê-la:

  1. Tire um momento para trabalhar sua autoconsciência: observe o seu próprio comportamento e anote suas impressões em um diário. Depois, analise o que aconteceu, o que houve, o que foi dito sobre o que ocorreu, quais foram os seus pensamentos, sensações, o que aprendeu e como pode fazer diferente.
  2. Pratique atividades físicas para melhorar seu autogerenciamento: recorrer a práticas esportivas como caminhada, corrida e meditação é uma forma de unir o útil ao saudável. Contribui para o desenvolvimento de habilidades como autocontrole, foco e resiliência. Mas, para assimilar melhor o que for aprendido é preciso desenvolver estratégias para lidar com sentimentos negativos e com a pressão. Contar com a ajuda de um coaching pode facilitar muito esse processo!
  3. Desenvolva a sua consciência social para pensar coletivamente: se colocar no lugar do outro e entender suas necessidades e desafios são fundamentais para evoluir socialmente. Boas ideias para desenvolver empatia e solidariedade é participar de trabalhos sociais ou voluntariado.
  4. Gerencie melhor as suas relações: seja resiliente ao lidar com os seus sentimentos mesmo que as situações fujam do seu controle. Parece impossível, mas não é. Basta ter foco para evitar que o seu corpo reaja no piloto automático. Se for necessário, recue até que se sinta seguro para seguir em frente.

Precisando de ajuda para desenvolver as habilidades do profissional do futuro?

A solução pode estar mais perto do que você imagina. Agende uma sessão experimental de coaching com a Carreira X para saber como se preparar para uma carreira exponencial! É gratuita e pode ser realizada online, no local em que se sentir mais seguro, bastando apenas uma conexão estável com a internet.

cta-post-blog-coaching-de-carreira
WhatsApp chat