Com um ritmo de mudanças cada vez mais veloz, o mercado de trabalho tem se tornado extremamente competitivo e forçado muitos profissionais a buscarem novos conhecimento e habilidades. E é justamente neste cenário que o coaching de carreira tem se tornado essencial para muitos profissionais, uma vez que auxilia na criação de metas, bem como traçar as estratégias para serem executadas em um curto prazo para alcançar os objetivos profissionais.

Com este artigo, você irá entender os conceitos de coaching, coach e coachee e descobrir de forma prática como este processo funciona, além do que se pode esperar em termos de resultados.

Coaching, coach e coachee: definindo os conceitos

Quando falamos em coaching de carreira estamos nos referindo ao processo  que tem como principal objetivo orientar as pessoas em suas decisões e desenvolvimento profissionais.

Já o coach de carreira (“coach”, que em Inglês significa treinador) é o profissional que ajuda seus clientes a encontrar motivação e  coragem para avançar para uma nova carreira ou desenvolver novas competências em sua carreira atual. Ele é o responsável por todo o processo de descobertas e execução de um plano de ações junto com seu cliente (o coachee).

Jovens em formação, gestores, líderes de equipe e até mesmo empreendedores são candidatos a serem  coachees em algum momento de suas carreiras, afinal planejamento e autoconhecimento nunca são demais.

Como funciona o coaching de carreira?

O processo de coaching busca explorar as competências do profissional para que ele alcance seus objetivos e desenvolva certa capacidade para lidar com problemas.

Este processo é dividido em etapas, onde o coachee é auxiliado por um coach a desenvolver ações para atingir o resultado pretendido.

Para que seja feito um trabalho sério e com resultados reais, são necessários vários encontros – que podem ser semanais, quinzenais ou mensais, definidos previamente entre as partes envolvidas – onde o coachee irá expor suas dúvidas e anseios no âmbito profissional e, junto com seu “treinador”, irá traçar um plano de carreira, capaz de levá-lo de um ponto para outro.

É durante essas reuniões que o profissional será confrontado em suas fraquezas e bloqueios internos, porém de uma forma bem diferente de uma terapia com psicólogo.

O foco é sempre o diálogo aberto, utilizando-se de perguntas pontuais, feedbacks e observações e em todas as sessões o coach irá passar algumas tarefas e aplicar técnicas necessárias para motivar o cliente a criar soluções e respostas, podendo essas atividades ser feitas em casa e discutidas no próximo encontro.

Os pilares do coaching da Carreira X

Na Carreira X usamos 4 níveis de análise, para garantir uma visão mais completa:

EU:

  • Minha personalidade – (eixos para contrapor – introvertido X extrovertido)
  • Meus valores
  • Minhas competências
  • Meus motivadores

PROFISSÃO:

  • Minha história (os 5 passos mais importante já dados)
  • Minhas escolhas (o que estudou, no que trabalhou, porque mudou)
  • Meus sucessos
  • Meus aprendizados (3 situações que você faria diferente, sabendo do resultado)

MERCADO:

  • Minha área
  • Minhas possibilidades de crescimento
  • Minhas oportunidades (vale a pena mudar?)
  • Minha remuneração

SIGNIFICADO:

  • Minha causa/propósito/missão
  • Minha visão de futuro
  • Meu mapa de carreira (onde quero chegar?)
  • Meu plano para chegar lá

As “regras” do coaching

Para que a sessão de coaching funcione perfeitamente, 4 regrinhas devem ser observadas pelo coach e coachee:

1. Ética

Para que dê certo é fundamental que exista confiança e respeito. Tudo que for falado durante as sessões deve ser confidencial. O sigilo é algo que se faz necessário sempre.

2. Não julgar

Os objetivos devem ser determinados pelo cliente, independente da visão que o coach tenha sobre determinado assunto. As sessões devem ser pautadas na imparcialidade e livre de julgamentos.

3. Foco no Futuro

É muito importante saber onde o coachee está e onde ele quer chegar, para assim criar estratégias e planos  da melhor forma possível. Essas decisões são sempre do cliente e o coach atua às vezes como um provocador e às vezes, como facilitador.

4. Ações

As ferramentas, ações e tarefas irão ajudar o cliente a chegar às próprias conclusões. Pode ser desde  um exercício de auto avaliação até e as atividades irão auxiliar o coachee a alcançar seus objetivos.

Por que fazer coaching?

Geralmente as pessoas recorrem à ajuda do coach quando estão insatisfeitas com a carreira atual,percebem que algo não está indo muito bem na empresa em que trabalham ou se encontram disponíveis no mercado de trabalho.

Se sentir perdido profissionalmente em algum momento da vida é algo muito mais comum do que se imagina e o exercício de autoconhecimento se torna um verdadeiro aliado nessas situações de conflito.

A lista de motivos para se buscar uma ajuda especializada pode ser bem ampla:

Planejamento: Definir objetivos claros e traçar estratégias. Ter o planejamento como aliado para elevar a carreira a outro nível é primordial;

Insight: ajuda no autoconhecimento e na compreensão do tipo de carreira que poderia trazer propósito e significado;

Ter um bom ouvinte: o coach está disponível para ouvir e através de um diálogo trazer reflexão. Ao externalizar alguns sentimentos, é possível ter uma visão mais ampla da situação;

Empregabilidade: ajuda para se preparar para processos seletivos e, conseguir assim, transmitir sua capacidade de forma assertiva. Para cada oportunidade pretendida, o objetivo  e o perfil devem estar de acordo com as exigências da empresa e do candidato. Assim uma recolocação pode acontecer de forma mais alinhada a realização profissional do coachee;

Equilíbrio: descobrir formas de conciliar a vida profissional e pessoal. Talvez este seja o maior desafio e também a maior motivação pela qual o coachee busca uma ajuda especializada;

Entrevistas: dicas de como se preparar para entrevistas e, assim, conquistar o emprego dos sonhos. Parece simples, mas muitas pessoas ainda possuem muita dificuldade de encarar uma entrevista. Nervosismo, falta de preparo e respostas vagas e superficiais podem ser realmente prejudiciais;

Valorização por parte das empresas: muitas vezes o setor de recursos humanos das empresas consegue perceber diferencial em uma pessoa que passou pelo processo. Um candidato bem preparado consegue demonstrar maior interesse, clareza e projeção de crescimento.

Resultados visíveis: O profissional consegue melhorar seu relacionamento com o trabalho, passa a gerir melhor sua equipe e alcança os resultados desejados. Inclusive os benefícios podem ir além da vida profissional, como controle de estresse e até perda de peso, ao aprender a gerenciar a própria rotina de forma mais disciplinada.

Quando contratar um coach?

Cada pessoa possui um ritmo de vida e um objetivo profissional diferente e pode contratar um coach em vários momentos e até mesmo mais de uma vez. É extremamente importante que a orientação faça sentido para o coachee.

Um profissional pode fazer coaching ao realizar sua transição de carreira, por exemplo, e anos depois realizar o processo novamente para desenvolver competências diferentes das que já tinha adquirido, como gestão de pessoas, após assumir um cargo de liderança.

Se você está passando por mudanças decisivas na carreira, está insatisfeito com o cargo atual ou empresa em que trabalha ou deseja liderar equipes, talvez este seja o melhor momento para contratar um coach.

A decisão de começar o processo deve ser pautada no custo de oportunidades. Pergunte-se quanto você está deixando de ganhar ao decidir por não fazer um processo de coaching.

Nem sempre a economia inicial vale a pena, pois sem um planejamento pode ser que você gaste muito mais tempo e energia para chegar no resultado desejado.

Outra dica valiosa é agendar uma primeira reunião com um coach antes de contratar o programa, para alinhar expectativas e perceber realmente se aquele coach pode trazer as soluções desejadas de acordo com cada uma das suas necessidades.

Qual a diferença entre o coach, headhunter e mentor?

Então você se decidiu por contratar um profissional capaz de te auxiliar e se deparou com vários termos novos ao fazer uma busca no Linkedin? Afinal, o que cada um desses profissionais fazem? Não teriam todos eles a mesma função? A resposta é NÃO!

Como já foi dito anteriormente, o trabalho de coaching é indicado para profissionais que desejam dar uma guinada na vida, conciliando os projetos pessoais com os profissionais para alcançar mais sucesso e realização.

É o coach quem irá dar orientações para que o coachee possa conquistar seu sonho, pois não adianta nada a pessoa ter um bom emprego e mesmo assim se sentir insatisfeito e desmotivado.

Já o mentor exerce uma outra função bem diferente. Quando falamos em mentoring estamos falando de um exemplo de profissional bem sucedido que servirá de inspiração e apoio. Ele é o responsável por trocar experiências sobre seu mercado de atuação e compartilhar sua própria trajetória e aprendizados. .

Por fim, o headhunter (da tradução literal, “caçador de cabeça”) é o responsável por encontrar talentos que estejam disponíveis para mudar de empresa. Geralmente são profissionais com amplo network e que possuem uma visão de mercado estratégica.

Quem busca este profissional provavelmente está querendo uma recolocação no mercado de trabalho e espera receber uma preparação específica para conquistar determinada vaga. Não existe uma análise profunda com vários encontros como no processo de coaching.

Como o coaching pode te ajudar a ter uma Carreira Exponencial

Provavelmente você já ouviu alguém mencionar este termo ou falar a respeito de carreira exponencial antes, mas afinal, o que seria isso na prática?

Um profissional exponencial é aquele que está sempre antenado às tendências da sua área de atuação e possui uma capacidade de projetar novas possibilidades, entender os diferentes cenários e se adiantar para resolver conflitos. Em outras palavras, ele tem visão de futuro.

Mas nem todas as pessoas possuem essa capacidade e no geral são muito reticentes à inovação. São líderes que desejam manter a margem de segurança e preferem seguir o caminho do crescimento constante ao invés de descobrir novas formas de realizar um trabalho, de forma exponencial.

Para inovar é preciso arriscar. É preciso estar com a mente aberta para novas ideias, para a experimentação e criatividade. E é neste cenário que várias empresas têm optado por refrescar seu quadro de funcionários, buscando operar com colaboradores autônomos para combater a inércia e resolver o problema da dificuldade de adaptação ao novo.

Ao mesmo tempo que este cenário pode parecer assustador para a maioria dos profissionais, ele também traz consigo um leque de oportunidades. É o momento de trabalhar competências e se transformar em um líder exponencial, uma vez que a adaptabilidade à disrupção representa uma vantagem competitiva. É aí que entra o papel do coach mais uma vez.

Para se tornar um líder inspirador, é preciso ter paixão pelo que faz. E para fazer aquilo que te dá plena satisfação, é preciso muita coragem, planejamento e desenvolver as competências  gerenciais, que podem ser conquistadas com a ajuda de um coach.

Será que estou preparado?

O coaching não é um processo milagroso que acontece da noite para o dia. É um processo que requer muito comprometimento do coachee e precisa ser levado a sério para dar certo.

Tem que ter muita disciplina, honestidade e franqueza para admitir quais áreas precisam de mudanças a curto, médio e longo prazo. O coach pode até orientar e dar dicas, mas a decisão final de colocar em prática ou não é inteiramente do cliente.

É muito fácil cair na armadilha de colocar a culpa da sua infelicidade e insatisfação em fatores externos, criticar a gestão da empresa em que trabalha ou responsabilizar seu líder por sua desmotivação, mas a partir do momento que você atribui o seu desenvolvimento profissional a terceiros, sua carreira fica estagnada.

O primeiro passo é fazer uma auto análise de forma sincera e decidir por tomar as rédeas da sua vida profissional o quanto antes. Se você não sabe por onde começar, pode ser a hora de fazer um coaching de carreira.

cta-post-blog-coaching-de-carreira
WhatsApp chat